Conheça o Snapchat, a rede social queridinha dos jovens

Talvez você já tenha visto seu filho adolescente grudado no celular, olhando vídeos e fotos que desaparecem, não ficam na memória do aparelho. Ou tenha ouvido a expressão “manda nudes”. O comportamento e a gíria estão ligadas ao aplicativo Snapchat, a rede social que mais cresce no mundo, e que o público jovem adora.

Primeiro, vamos apresentá-lo. O Snaptchat é um aplicativo de troca de mensagens, fotos e vídeos. O diferencial dele para o Facebook e Whatsapp é que, após lida a mensagem, o arquivo não fica no celular. Daí o “manda nudes”, ou as fotos mais íntimas, de pessoas sem roupas. Viu, mas não guardou. E nem repassou. E nem viralizou. Um dos motivos do  seu símbolo ser um fantasminha.

As diferenças não param por aí. Ao contrário do YouTube e Facebook, que permitem vídeos longos, o Snapchat permite que vídeos tenham até 10 segundos. É menos que os 15 segundos dos vídeos do Instagram. As fotos também precisam ser feitas na hora, não dá para clicar, armazenar e mandar depois, como nos outros aplicativos. Os números do app também impressionam. O Snapchat tem cerca de 200 milhões de usuários em todo o mundo, e nesta semana, atingiu 6 bilhões de acessos. Um levantamento feito pelo site PhotoWorld mostra que a rede social atingiu um volume de imagens compartilhadas de 8.796 fotos por segundo. É mais do que o Facebook e o Whatsapp. 

E por que os jovens? Bem, eles estão mais acostumados e se adaptam mais fácil às novas tecnologias. O público que tem, geralmente, entre 13 e 25 anos. “Os jovens fugiram do Facebook e do Instagram porque seus pais aprenderam a usá-los”, comenta a diretora-executiva da Consultoria Le Fil, Socorro Macedo. 

INTIMIDADE

O Snapchat (ou apenas Snap, para os mais íntimos) é usado principalmente para mostrar bastidores. Que o diga as blogueiras de moda e celebridades. “Ele é diferente e aproxima a audiência. Mas ao mesmo tempo é perigoso porque não tem regras e as pessoas acabam fazendo uma exposição exagerada, acaba abrindo mais a sua vida”, diz a blogueira Camila Coutinho. O Snap da blogueira é cheio de momentos íntimos, na sua casa e com o seu marido. Camila conta que usa o app para se divertir. “Quando estou num evento interessante, com uma pessoa engraçada”, explica. A blogueira, que tem 80 mil seguidores nessa rede social, posta de dois a três vídeos por dia, mas essa frequência varia de acordo com a sua agenda. 

A estudante Sara Melo, de 19 anos, tem o Snap há cerca de um ano. “Entrei por curiosidade e por indicação dos amigos, que já estavam lá”, diz. Mas falou, também, que não é uma usuária assídua. “Posto fotos da minha cadela de estimação, para meus amigos verem”, completa. O recorde de postagens foi durante uma ida à praia, onde mandou 15 snaps. O dentista Fábio Sarmento, 32 anos, também é usuário da rede. “Acho legal porque tem a privacidade de mandar para quem eu quero. São coisas que eu só falo para os amigos mais íntimos, como se eles estivessem ao meu lado”, diz.

É justamente essa “intimidade” a graça do aplicativo, diz Socorro Macedo. “O Snapchat é apontado como uma dos aplicativos mais promissores por ser utilizado via celular, conseguir prender a atenção do usuário pelos seus vídeos e fotos curtos considerados mais de bastidores, pela privacidade e agilidade de envio de fotos e vídeos. Ele é um dos aplicativos gratuitos mais baixados no iTunes, por exemplo”, diz.

A tendência é que o número de usuários só cresça. “É um consumo diferente de conteúdo. Nenhum aplicativo compete com o outro. Cada um tem um tipo de comunicação diferente”, avalia Socorro.

Fonte: JcOnline

Anúncios