Os cursos técnicos são uma alternativa para quem deseja conquistar uma boa colocação profissional

Os cursos técnicos são uma alternativa mais rápida e focada para quem deseja conquistar uma boa colocação profissional. O principal diferencial desse tipo de formação está na especialização de acordo com as demandas do mercado, já que são focados na empregabilidade e têm boa aceitação por parte dos empregadores.

Segundo um levantamento realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mais de 70% dos alunos dos cursos técnicos conseguem uma colocação logo no primeiro ano após a conclusão do curso. Além de suprir as demandas do mercado por profissionais qualificados e especializados, o quadro de crescimento dos cursos técnicos é favorável também para a educação, funcionando também como uma ponte para o ensino superior. Para obter o diploma de técnico, é necessário que o estudante já tenha concluído o ensino médio.

Essa articulação da formação técnica com o ensino médio pode ser de forma integrada, concomitante ou subsequente. Na modalidade integrada, a partir de uma única matrícula, o aluno estuda com um currículo embasado nos conhecimentos do ensino médio e das competências da educação profissional. Na forma concomitante, o técnico e o médio se complementam e o aluno possui duas matrículas. Na subsequente, o estudante já concluiu o ensino médio ao se matricular em um curso técnico. Segundo o mapa estratégico da indústria da CNI, a formação técnica é um tema prioritário e a educação profissional precisa ser vista como uma via educacional voltada para as demandas mercadológicas.

De acordo com o mapa, só 6,6% dos estudantes brasileiros cursam a educação profissional concomitante ao ensino médio regular, número que chega a 55% no Japão e 52% na Alemanha. Esse cenário revela que, apesar do crescimento do ensino profissional no Brasil nos últimos anos, ainda é preciso bem mais para suprir as necessidades do mercado por profissionais preparados. De olho nas oportunidades, as mulheres já são maioria nos cursos técnicos. Segundo o último Censo da Educação Básica, elas são 53,1% do total de alunos dos cursos de formação profissional. Uma das explicações para essa predominância é o crescimento na escolarização feminina, registrado desde a última década. Em maior número no ensino médio, é inato que elas optem pelo ensino técnico como forma de se qualificar para o mercado. Segundo o diretor do Grau Técnico, Carlos Gomes, elas já são as mais contratadas para os cargos de liderança em áreas como as de edificações e eletrotécnica. “Temos diversos exemplos de sucesso. Mulheres que na metade do curso já começam a atuar, e quando finalizam a formação estão com seus empregos assegurados”, afirma. De acordo com Gomes, as mulheres representam 75% dos 30 mil alunos da rede no Estado. 

Da qualificação a uma grande firma 

Na busca por oportunidades e qualificação profissional, Raul Nascimento, de 18 anos, conquistou a vaga de Jovem Aprendiz em uma das maiores fabricantes de filme PVC do Brasil.

A partir de um curso de orientação e qualificação socioprofissional, promovido pelo Instituto Empreender com patrocínio da Petrobras no Estado de Pernambuco, o jovem hoje trabalha no setor logístico, desempenhando a função de fiscalização de notas fiscais e arquivos, além de cuidar do faturamento da marca. Segundo Raul, morador da cidade de Escada, a formação técnica representou um diferencial significativo em seu currículo.

“O mercado é muito exigente, por isso, tentar se diferenciar da concorrência já é uma vantagem. Acima de tudo, não devemos ter medo do mercado, ou ele pode nos devorar. Com foco, perseverança e qualificação é possível ser um profissional bem sucedido”, afirma Raul.

A formação técnica atua como um importante vetor de promoção social, especialmente para o jovem recém-saído do ensino médio, aumentando as oportunidades de colocação profissional e ampliando as condições de desenvolvimento da economia.

Há opções de cursos técnicos para todos os setores e o mercado laboral diferencia os profissionais que conseguem desenvolver de forma satisfatória, na prática, os conteúdos adquiridos durante a formação. “Agora posso ajudar minha família a pagar algumas contas, o que para mim é muito importante. Vou batalhar para ter uma vida estável e ser respeitado na vida pessoal e profissional”, conta Raul, que agora sonha em cursar direito.

Fonte: JcOnline

Anúncios