Trabalho voluntário enriquece o profissional

Cada vez mais o trabalho voluntário vem ganhando espaço na vida do profissional moderno. Além de ser uma oportunidade de contribuir para a  sociedade, os ganhos para o  profissional também são muitos.  Visto como um agente de transformação, quem se engaja em um voluntariado costuma desenvolver competências muito valorizadas nas organizações, como comprometimento, espírito de equipe, iniciativa e solidariedade. Outra habilidade desenvolvida por profissionais engajados em causas voluntárias é a de alcançar objetivos por meio da gestão de recursos escassos, característica presente em muitos projetos sociais. Portanto, é também uma chance de desenvolver o lado criativo e a habilidade em lidar com adversidades.
 
O ato de cumprir outro papel na sociedade, engajar-se, lidar com pessoas em situação diferente da sua e se comunicar com diferentes grupos também causa impacto em outros aspectos da vida, inclusive na carreira. Um grande motivador desse tipo de inserção é a preocupação cada vez mais presente nas empresas com o conceito desustentabilidade. Não é possível simplesmente ofertar bens e serviços sem analisar os impactos de sua atividade na comunidade circundante. Quando as ações são apoiadas pelas empresas, os profissionais passam a ter uma oportunidade real de se engajar em uma atividade voluntária. Em países da Europa, nos Estados Unidos e no Canadá, por exemplo, o trabalho voluntário é o diferencial para os profissionais. É inclusive um fator determinante para se conseguir bolsas de estudo. Mas, mesmo conhecendo a quantidade de ganhos, é importante saber como escolher o trabalho voluntário que será abraçado.
 
É essencial que o voluntariado tenha conexão com seu trabalho, por exemplo: se você é da área financeira de uma empresa, ajude na contabilidade de uma entidade social. Escolha um projeto com o qual você se identifique; vale reforçar que todos têm uma competência para oferecer. Outra recomendação é não praticar o voluntariado apenas como um elemento de promoção pessoal ou para constar no currículo. Procurar se envolver de fato com o trabalho e as pessoas e calcular quanto tempo tem disponível na semana para desenvolver a atividade é fundamental para não perder o entusiasmo. Não se comprometa se não tiver certeza de que será capaz de dar continuidade. Outra sugestão que podemos dar é que o profissional comece cedo sua atuação em projetos sociais voluntários, além de contribuir para o processo de formação do indivíduo, pode auxiliar profissionais em início de carreira que não têm experiência.
 
No meu caso, por exemplo, participo do grupo de gestão e na área de ensino do projeto Ponto Cidadão, que ajuda a capacitar jovens de Igarassu para o mercado de trabalho. Contribuo com minha experiência pedagógica e de consultoria em gestão e RH. Anualmente tenho a responsabilidade de ser mentora de um aluno do Ponto Cidadão. Ao todo já foram 10 jovens. Recomendo que os interessados comecem com uma atividade e a ampliem se tiverem condições. Comecei como mentora e aos poucos fui me engajando mais no projeto e assumindo novas responsabilidades. É muito gratificante ver os jovens interagindo com você, falando das suas vitórias e conquistas. Tenho orgulho de fazer parte desta história.
 
Em resumo, o voluntariado é uma opção de responsabilidade social gratificante na qual o profissional pode efetivamente colaborar com atividades que, muitas vezes, ele nem imaginava que seria capaz de executar. Desta forma, ganham a sociedade, os voluntários e os cidadãos.
Por  Eline Nascimento, sócia da Ágilis RH, empresa integrante da Rede Gestão.