O cuidado com o modo de agir com o outro

Ao falar sobre a importância do cuidado que as pessoas devem ter com seus companheiros de existência, o teólogo Leonardo Boff classifica esse cuidado como “uma atitude de envolvimento afetivo com o outro”.  

Cuidar é zelar, é ter uma atitude curadora. Em sua forma mais antiga, a palavra “cura” (do latim coera) era usada num contexto de relações de amor e amizade. Ela expressava uma atitude de cuidado, mais do que uma prescrição de medicamento. Curar alguém era atividade que evocava não só conhecimento técnico sobre o corpo humano, mas um conjunto de preocupações, afetos e saberes que, reunidos, serviam para tornar saudável a pessoa no contexto de sua família e sociedade. Quando o provérbio diz “muitos se dizem amigos leais, mas um amigo fiel quem poderá achar?”, expressa a fortuna de se ter um amigo, pois esse é um cuidador, um curador. Um homem fiel, que a sabedoria proverbial menciona, é um tesouro. Como afirma um ditado russo, “um amigo fiel é o melhor remédio que se encontra na vida. 

Por isso que devemos nos dedicar tanto à procura dessa preciosidade, quanto oferecer tal preciosidade aos outros. Afinal, se precisamos de bons amigos, certamente as outras pessoas também precisam. O que os outros podem ser para nós, nós podemos ser para eles, esforçando-nos a desenvolver as virtudes da ocupação, da preocupação, da responsabilidade e do envolvimento. 

Por Alessandro Rocha – via Provérbios para uma vida feliz